Rede Questão Brasil

Loading...

Arquivo do blog

Pesquisar este blog

domingo, 29 de junho de 2014

Copa do Mundo derruba fronteiras nas redes sociais e mostra um Mundo de fato Globalizado

Em 2010 a Internet já dava um colorido diferente sobre as informações que partiam da África do Sul para manter os quatro cantos do planeta ligado em tudo que acontecia no Mundial. No Brasil os dados estão viajando a uma velocidade ainda mais rápida e tudo o que ocorre em qualquer canto do país em questão de segundos ganha as redes sociais e atualiza imediatamente os sites dos maiores jornais do Mundo.
A tecnologia é uma aliada da liberdade de expressão e se torna uma ferramenta indispensável para quem quer mesmo estar à par dos acontecimentos durante a Copa do mundo, mas a Rede Mundial de computadores tem sido muito importante para manter as pessoas conectadas, perto uma das outras virtualmente e tendo notícias em tempo real.
A Copa das Copas é também a copa da informação globalizada em que consiste no acompanhamento de amigos e familiares que deixaram suas terras natais para se aventurar numa terra desconhecida sem deixar ninguém preocupado de como está. 

As surpresas da primeira fase podem incluir além das eliminações precoces da Espanha, Inglaterra e itália; a classificação da Costa Rica, Colômbia e Grécia. Talvez você imagine que colocar a Colômbia neste hall seja um demérito para o time James Rodrigues, mas se for analisado que o selecionado deles ficou sem sua principal estrela às vésperas da Copa do Mundo não soaria assim como um absurdo.
A estrela da Colômbia hoje é James Rodrigues, mas que até outro dia ninguém sabia de quem se tratava o camisa 10 que tem encantado o mundo, ele esta fazendo mais sucesso, e decidindo também, mais do que os astros Messi e Neymar.
Diego Lugano alertou o Brasil sobre James Rodrigues e justificou a saída de sua seleção pelo Uruguai não contar no seu elenco com um talento como ele.
O goleiro Ochoa não recebeu o apelido de muralha à toa, não mesmo. O arqueiro da seleção mexicana vinha aprontando das suas diante do fortíssimo time da Holanda e até os 42 minutos do segundo tempo, o selecionado Asteca estava com a mão na classificação.
Substituições equivocadas e uma certa desatenção nos minutos finais levaram o México ao declínio técnico que acabou culminando com a derrota de virada nos minutos finais de uma partida que parecia ganha, ou melhor tinha tudo para ser ganha.
Robben mais uma vez fez a diferença levando a Holanda a mais um triunfo incontestável do ponto de vista tático e técnico, pois a favorita venceu e não há como pôr em duvida o resultado.

Perdeu na bola e na porrada, dixzem nos campos de várzea do Brasil. Aqui não é o caso de tripudiar em cima da onça morta.
Diz a lenda que houve uma agressão do assessor de imprensa da CBF a um integrante da Seleção Chilena, mas em termos de comprovação por imagens, será difícil já que a FIFA não divulgou nada que levasse a imprensa mundial a elucidar o caso. Certo é que o Brasil bateu um antigo freguês e ficou com a vaga nas quartas de final, enquanto que o agredido Chile vai chorar na cama que é lugar quente.
O jogo em si mostrou um esquadrão chileno mais entrosado que o dos brasileiros, em determinados momentos até teve o domínio do jogo e teve as duas bolas do jogo para acabar com o sonho do Hexa, mas o fator sorte pesou em favor da nação canarinho, e se os Deuses da bola fizeram o acaso pender para o nosso lado é sinal que estamos com tudo, até com a sorte de campeão.
Os europeus vão caindo um à um nesta Copa do Mundo, favoritos como Espanha, Inglaterra, Itália e Portugal de CR7 nem passaram da primeira fase, sem ter muito o que fazer na cobertura do Mundial os Jornalistas destes países acharam um bom passatempo para ocupar o seu tempo ocioso. Criticar o Brasil ou alguma coisa que esteja ligada à pátria de Neymar.
Não é difícil abrir um site de um grande jornal europeu e se deparar com alguma notícia que tente trazer de alguma forma embutido algum demérito ao time de Felipão ou a organização brasileira. Tá certo que aquele pênalti mandrake marcado em nosso favor foi um absurdo, mas a seleção brasileira se classificou sem sustos, mesmo não apresentando um futebol convincente não há motivos para que vejam nossas vitórias com tamanho desdém.
O futebol do Brasil não tem sido de primeira? Concordo, mas a imprensa de qualquer país do Mundo também precisa entender que só quem mostrou competência continua alimentando as esperanças de levantar a taça de campeão no Brasil. Os países citados foram fracos em suas apresentações, exceção feita à Portugal que para chegar a um desempenho considerado fraco ainda terá que melhorar muito e Cristiano Ronaldo enquanto melhor do Mundo só desacredita o prêmio Bola de Ouro da FIFA.

Seguidores

Twitter